29 maio, 2009

Das perturbações

Quando me olha. (por que me olha? que procura? qual raridade ou estranheza busca nos meus olhos que deles não desvia?)
Quando rimos. (sempre pelos mesmos motivos, sempre sem motivo nenhum, pela sua inocência ou minha devassidão.)
Quando me beija. (é doce e pequeno e sublime e nobre. ou vira uma vontade imensa de te abraçar ou um desejo sem tamanho de te mostrar tantas coisas que imagino que queira aprender comigo. e me calo.)
Se me corrige. (eu não sei mesmo falar inglês. como se eu precisasse da sua ajuda.)
Se me elogia. (porque eu realmente não acredito em você.)
Se passa tempo demais segurando minhas mãos. (que medo que eu fuja ou me afaste, que intenção existe no calor do teu carinho?)
Se fala de coisas que não entendo. (precisava ser assim, tão melhor do que eu?)

4 comentários:

nana disse...

lindo! amei.

Gustavo Martinho disse...

complexo de superiorida é podre mesmo...
nojento...

mas imaginando como imagino Carmen...
talvez seja apenas implicancia de humor...
sinto falta de te encontrar online...
abraços...e paz...

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei de suas perturbações! (rs)

Carmen Martinez disse...

é realmente uma implicância, sr. pokapoka.