02 junho, 2010

Diana do peito meu

Todo dia, meu amor,
vigio teus passos.
Busco, adiante,
as novidades de tua existência distante.
Acompanho tua poesia
para que tenhas um lar aconchegante
e tua voz possa ecoar além do teu espírito.

Dedicar-me a ti é uma forma de apagar tua ausência.

Diz-me, agora,
como posso ainda viver sem ti?
Encontremo-nos, Diana,
para que meus olhos lhe fotografem,
e eu registre teu tempo,
e eu percorra tua vida através dos teus sonhos.

Quero enquadrar-te no infinito onde sequer cabe minha saudade.

Quero estar contigo, vê-la piscar;
dobrar ondas na orla baiana,
criar furacões dentro de mim.

2 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Pronto, agora dá pra comentar!

=]

Tenho certeza que a Diana amou cada palavra escrita e ainda deu aquele sorriso de felicidade.

Sabe, amei saber que a Carmen é a Thalita.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

D i c a disse...

Não só do peito, mas da vida inteira.

Queria tanto te por no meu colo e contar tudo sobre mim, até o que você já sabe. Esse é o meu mais sincero desejo.