16 abril, 2010

Andorinha II

Limita o passo, quadrado verde,
                          meio falante,
                          alheio trigonométrico,
                          hecatombe cardíaca brotando
                                                          cogumelo.

- Foi o cigarro?

                         Foi a andorinha: voou esperta
                         concêntrica consciente
                         distraiu-me da localização do ninho.

                         Ou lhe parece que sou predadora
                         ou se lembra dos muros que ergui.

A andorinha não sabe, mas eu não presto. Eu estava diferente, mas não sou, nem serei.
Apenas desejo enquanto podes fugir.

2 comentários:

Vinícius Remer disse...

Fuja logo Andorinha antes que a mente louca que te criou a prenda novamente...

Elba disse...

BUH@