05 agosto, 2009

(lat speculu)

"O meu peito deseja e, estranho, persegue as palavras que faltam ao meu truncado sentido. No desassossego, acabei por entender a necessidade da vida/morte das coisas - eu mesmo me dividi em vários pedaços mortos/vivos pouco delimitados. Foi o inverno que trouxe o tempo; o excesso trouxe a maldita sensação de que sei das coisas: não há no mundo alguém mais obstinado em me pertencer que eu, alguém que pretenda mais conhecer-me que este indivíduo que me habita.

(...)"



ATRAVESSE O CORREDOR E CONTINUE LENDO AQUI.

2 comentários:

eve disse...

eu li e vc me fez pensar... muito. Obrigado.

Dica disse...

Continuei lendo lá, alimentei seus peixes e trouxe selo pra você.


;*