19 agosto, 2008

Ser poeta

É que eu andei pensando nessa coisa de ser poeta, que deve ser bom ter quem leia, que deve ser bom ser imortal.

Tanta coisa pra dizer que se acaba por atropelar o pensamento e antes de por ponto final tem que haver vírgulas para não se perder o caminho do poema.

O poema é sempre, assim, essa coisa disconexa e sem sentido que sempre achei ser necessário ser rico pra poder entender. Hoje sei que os ricos só têm, por um motivo muito besta, aval p'ra fazer cara de bom entendedor diante de qualquer obra.

E que, poeta ou não, qualquer um diz a bobagem que quiser. Mas o poeta diz lindo e suave, mesmo a bala no peito, mesmo a diária e hipócrita e ignóbil relevação/revelação do ser. Não dá p'ra ser feliz sendo poeta.

Não dá p'ra ser feliz sendo poeta porque a poesia é uma grande enganação. É sempre um eufemismo ou uma hipérbole que mata a verdade de tal jeito que o poema jamais dirá coisa com coisa, o poema jamais será real.

Coitado do poeta. Cheio de amargura e vontade de gritar. E só lhe sai um sussurro de poesia.

8 comentários:

Luísa disse...

o poeta é um fingidor/finge tão completamente/que chega a fingir a dor/a dor que deveras sente.
e blablabla. você já disse tudo.

C. disse...

pior que escrevi pensando nisso.

felipe disse...

A poesia é um bocado de ventos e outros tantos de maré.

felipe disse...

*Mentira, eu não sei da Senhora Poesia.

Vinícius Remer disse...

"Mas o poeta diz lindo e suave ..."
Concordo plenamente,
Nada mais bonito do que ser um poeta ...
xD

elba disse...

diz lindo suave.... diz porque não dá conta de ter dentro, quer derramar aquela qualquer coisa pro outro e termina revigorando-a. diz lindo, lindo!

elba disse...

é um prazer!

Diana Borges disse...

Ser poeta tem seus prazeres e desprazeres, prefiro não ser.